segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Senac Francisco Matarazzo promove debate sobre desigualdades socioterritoriais nas cidades brasileiras


Especialistas vão abordar gestão das políticas sociais brasileiras, diversidades socioculturais presentes nas cidades e seus territórios, e o mapa da desigualdade em São Paulo, entre os outros assuntos.  
O Senac Francisco Matarazzo realiza, no dia 30 de novembro, no Auditório Nobre do edifício Sede do Senac São Paulo, na Vila Buarque, o debate Gestão de Projetos Sociais no Território. A iniciativa tem o objetivo de proporcionar um diálogo sobre as desigualdades socioterritoriais e os caminhos para decodificá-las, com especialistas sobre o tema.
          O evento consiste em painéis temáticos que trarão à tona discussões sobre a política brasileira e problemas relacionados à desigualdade social.  A programação contempla o painel Do Chão para a Gestão, das 14h30 às 16 horas, com Dirce Koga, autora do livro Medidas de cidades entre territórios de vida e territórios vividos e São Paulo: sentidos territoriais e políticas sociais, em coautoria com Aldaiza Sposaticom a mediação de Pedro Pontual, presidente honorário do Conselho de Educação Popular da América Latina e Roberto Galassi Amaral, coordenador do curso Gestão de Projetos Sociais no Território (Presencial) e professor no curso Projetos Sociais e Políticas Públicas (EAD).
                Na ocasião, eles falarão como a lógica institucional tem marcado os processos de gestão das políticas sociais brasileiras e as diversidades socioculturais nas cidades e seus territórios. Além disso, vão discutir sobre os caminhos metodológicos a serem construídos na perspectiva de inversão desta lógica de gestão, além de abordar métricas e cartografias sociais no país.

         Já o painel Ação Social no Território – a contribuição do Mapa da Desigualdade da cidade de São Paulo acontecerá das 16 às 17 horas, com Américo Sampaio, professor e conselheiro da Escola de Governo de São Paulo e com a mediação de Pedro Pontual e Roberto Galassi Amaral. O debate apresentará as informações mais significativas do Mapa da Desigualdade da cidade de São Paulo, buscando mostrar como este instrumento criado pela Rede Nossa São Paulo pode contribuir para uma melhor qualificação das ações sociais nos territórios e para engajar os atores da sociedade civil para a prática do controle social das políticas públicas.
O evento é gratuito e voltado aos profissionais, estudantes e interessados em gestão de projetos sociais, responsabilidade social, política pública e desenvolvimento social. Para se inscrever, acesse a página da unidade no Portal Senac: www.sp.senac.br/franciscomatarazzo ou na agenda de eventos: www.sp.senac.br/eventos.

Serviço: 
Gestão de Projetos Sociais no Território
Local: Auditório Nobre – edifício Sede do Senac São Paulo
Rua Dr. Vila Nova, 228, Vila Buarque - São Paulo - SP
Data e Horário: 30/11/2017, das 13h30 às 17h30Participação: Gratuita

Programação:

13h30 às 14 horas – Recepção dos Participantes
14 horas às 14h10 – Abertura com Roberto Galassi Amaral
14h10 às 14h30 – Apresentação dinâmica: Susana Sarmiento, do Portal Setor3 do Senac São Paulo.
14h30 às 16 horas – Painel 1: Do Chão para a Gestão 
A atividade buscará dialogar sobre a lógica institucional que tem marcado os processos de gestão das políticas sociais brasileiras, normalmente de costas para as desigualdades socioeconômicas e diversidades socioculturais presentes nas cidades e seus territórios.
Convidada: Dirce Koga
Mediadores:  Roberto Galassi Amaral e Pedro Pontual
16 às 17 horas - Painel 2: A Ação Social no Território – a contribuição do Mapa da Desigualdade da cidade de São Paulo 
O painel tem por objetivo apresentar as informações mais significativas do Mapa da Desigualdade da cidade de São Paulo, buscando mostrar como este instrumento criado pela Rede Nossa São Paulo pode contribuir para uma melhor qualificação das ações sociais nos territórios.
Convidado: Américo Sampaio, gestor de projetos da Rede Nossa São Paulo
Mediadores: Roberto Galassi Amaral e Pedro Pontual
17 horas às 17h30 – Fechamento – Roberto Galassi Amaral e Pedro Pontual 
Novembro/2017

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Boa gastronomia, histórias e música árabe. Esse foi o clima da festa de 15 anos do Farabbud comemorada na noite desta terça-feira, em Moema, zona sul de São Paulo. Clientes, amigos, críticos de gastronomia e personalidades foram prestigiar o aniversário da casa pioneira da culinária síria-libanesa na cidade e a noite de autógrafos do livro “Farabbud, uma História”, que reúne receitas e curiosidades da casa. A noite foi embalada por pocket-show do trio Hijaz, música árabe ao som do cajón, violão, teclado e voz do cantor sírio Shadi Alahmad

Farabbud comemora 15 anos com festa e livro



Clientes, amigos, críticos de gastronomia e celebridades prestigiaram a noite de autógrafos e o pocket-show da banda árabe Hijaz

Boa gastronomia, histórias e música árabe. Esse foi o clima da festa de 15 anos do Farabbud comemorada na noite desta terça-feira, em Moema, zona sul de São Paulo. Clientes, amigos, críticos de gastronomia e personalidades foram prestigiar o aniversário da casa pioneira da culinária síria-libanesa na cidade e a noite de autógrafos do livro “Farabbud, uma História”, que reúne receitas e curiosidades da casa. A noite foi embalada por pocket-show do trio Hijaz, música árabe ao som do cajón, violão, teclado e voz do cantor sírio Shadi Alahmad

Passaram por lá para prestigiar o coquetel e experimentar algumas das receitas de sucesso da obra, o casal de atores Suzy Rêgo e Fernando Vieira, a atriz Raiani Teichmann, a cantora Vanessa Jackson, a chef Renata Abbud (Randa), os youtubers Mauricio Chahad, do canal Por Aí Afora, e Tulio Silva, do Pensecomida, os críticos de gastronomia Josimar Melo e Marcio Alemão e as blogueiras de gastronomia Erika Gentile e Fernanda Borges (Guia Comida de Rua SP), a advogada Branca França, dentre outras. Os convidados foram recebidos pelo casal de sócios Paulo e Claudia Abbud. Uma galera bonita, descolada e admiradora do restaurante que é um marco da culinária árabe de São Paulo.

Com páginas dedicadas às histórias, curiosidades, depoimentos de colaboradores e clientes e receitas de 15 pratos, um para cada ano de existência, o livro reúne colaborações como o prefácio escrito pelo crítico gastronômico da Folha de S. Paulo, Josimar Melo, um dos primeiros a descobrir a casa na cidade e a decretar, no ano de abertura, 2002, que “sobram qualidades na cozinha libanesa do pequeno Farabbud”. A apresentação é de Márcio Alemão, roteirista e crítico de gastronomia da revista Carta Capital, também um dos primeiros a destacarem a excelência gastronômica do restaurante. O texto é de autoria da jornalista Flávia G. Pinho (membro do júri de gastronomia da Revista Sãopaulo e colaboradora de diversos jornais e revistas da área).

Fundado por Paulo Abbud, em 2002, em Moema, zona sul da cidade, o Farabbud é uma homenagem a Suahad Farah e Emílio Abbud. A tradição das famílias de descendências síria e libanesa deu corpo à cozinha do restaurante. Ingredientes de qualidade e “receitas de gaveta” compõem a fórmula de sucesso da casa e estão detalhadas na obra. Os sócios atribuem a longevidade a três pilares: a excelência da comida, o respeito aos clientes e a parceria afetuosa com os colaboradores. Além da tradição sírio-libanesa, os críticos apontam os elementos de vanguarda do Farabbud no cenário gastronômico da cidade.

Tradição e vanguarda sempre marcaram a história do Farabbud e agora tornam-se parte do enredo do livro comemorativo. O livro é o resultado dessa união de sobrenomes, gestos, histórias e sabores.  Família que dita moda e história na culinária árabe paulistana.  O clã cresceu e hoje os filhos de Paulo Abbud, Patricia e Paulo Abbud Filho, tocam os árabes Manish, no Itaim Bibi, e a rede Saj, marcas mais voltadas ao público jovem, e Renata Abbud administra o Randa, localizado num complexo empresarial no Morumbi, zona sul da cidade. “Este aniversário tem um sabor muito especial para todos nós. Ele marca uma união verdadeira - e que, se depender da família Farabbud, ainda vai durar muito”, completa o restaurateur Paulo Abbud.  Não à toa, “Farah” quer dizer “luz”, em árabe, e “Abbud” alude a um príncipe árabe de Damasco que abdicou de seu trono por amor. Farabbud, literalmente “o cozinheiro da luz”, em 15 anos de história.

Serviço:
Farabbud
Alameda dos Anapurus, 1253
Moema – São Paulo– SP – CEP 04087-003
Tel. 11 5054-1648
Instagram: @farabbud
Facebook: /Farabbud
Twitter: #Farabbud