quarta-feira, 28 de março de 2018

FarmaZap chega a São Paulo
 

Startup de Recife lança aplicativo de pesquisa e compra online de produtos farmacêuticos. Pesquisas mostram que variação de preços do mercado podem chegar a 5000%


Os preços dos medicamentos no Brasil estão entre os mais caros do mundo. Fabricantes, fornecedores, distribuidores e varejistas dizem que a culpa é da tributação. O fato é que quem paga a conta salgada mesmo é o consumidor final.  De olho nesse mercado bilionário e competitivo, chega a São Paulo o FarmaZap, aplicativo de pesquisa e compra on line de produtos farmacêuticos. A proposta é oferecer economia de tempo e dinheiro ao consumidor. Com as principais redes de farmácias cadastradas e mais de 25 mil itens à venda, o aplicativo indica em tempo real onde comprar mais barato. O FarmaZap segue todas as normas e tem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
 




Aldo Ferreira, sócio do Farmazap, traz o aplicativo para São Paulo com a proposta de oferecer economia de tempo e dinheiro ao consumidor. Crédito das fotos: Divulgação.


A startup, administrada por um trio de empresários e amigos, todos da área de Tecnologia da Informação e que já haviam trabalhado na indústria farmacêutica, está incubada no polo tecnológico do Porto Digital, em Recife, Pernambuco, um dos maiores do país. A plataforma foi lançada no início de 2017, a partir das necessidades deles próprios ao se verem peregrinando por farmácias para comprarem medicamentos para os filhos e vendo variações absurdas às vezes no mesmo bairro. O processo era longo e pouco eficiente, já que a pesquisa reunia 5 ou 6 farmácias no máximo. "Os medicamentos consomem parte importante do orçamento doméstico. Economizar, em tempos de crise, é a melhor receita. Nesse sentido, o aplicativo funciona também como um agente de promoção de saúde. Sabemos que a população mais carente deixa de seguir a prescrição médica por causa do orçamento restrito. Com o aplicativo, terão acesso aos produtos mais baratos", explica Aldo Ferreira, CEO da FarmaZap, que percebeu, em 2015, que faltava, no mercado, uma ferramenta eficiente que unisse comodidade e preço.

Depois da fase de testes e dos ajustes da demanda no mercado de Recife, o aplicativo desembarca em São Paulo.  A expectativa dos sócios com o mercado paulistano é otimista. A empresa prevê triplicar o número de downloads já no primeiro trimestre. Pesquisas do Procon-SP e do Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade (ICTQ) revelam que a variação de preço de um mesmo medicamento pode chegar a 1200% (mil e duzentos por cento), entre os medicamentos genéricos, e até absurdos 5000% (cinco mil por cento), entre os de referência. Mesmo o genérico tendo como proposta ser, em média, 57% mais barato que os de marca, na prática, os valores revelam-se flutuantes de loja para loja. Comparar preços é a receita para economizar. O FarmaZap proporciona essa pesquisa em segundos. O usuário informa o nome do medicamento ou substância, dosagem, quantidade e recebe os preços em tempo real.
 



O aplicativo de pesquisa e compra on line de produtos farmacêuticos indica em tempo real onde comprar mais barato.


O aplicativo tem cadastradas em sua plataforma as maiores redes de farmácias do Brasil como Onofre, Drogasil, Droga Raia, São Paulo, Pacheco, Wall-Mart, Carrefour e NetFarma. Também permite a compra de itens de perfumaria, fraldas e outros na Americanas.com, Submarino, Ponto Frio, Casas Bahia e Shoptime, e lojas de suplementos alimentares e nutricionais, como Corpo Ideal e Boa Saúde. O cliente opta por receber a compra em casa ou retirar na loja escolhida, de acordo com sua necessidade.

Para as farmácias, o aplicativo também é uma excelente plataforma de marketing e um canal direto com o consumidor. Representa mais clientes e agilidade nas vendas. O aplicativo FarmaZap está disponível gratuitamente para Android e iOS. Remédio mais barato e sem sair de casa. Receita de sucesso.

Serviço:
FarmaZap
Tel.: 11 9 6463-8182
Disponível para dowload na App Store e no Google Play.
Facebook: /appfarmazap
Instagram: @farmazap

terça-feira, 20 de março de 2018

O Baião – Cozinha Nordestina traz o melhor da cozinha do Nordeste para São Paulo. Nas noites de sexta e sábado e no almoço de sábados, domingos e feriados, há música ao vivo, para ouvir e dançar, em um salão anexo ao principal, onde há um charmoso palco em forma de sanfona. “Eu vou contar pra você como se come bem no Baião e, se não quiser ler todo o release, nas fotos preste atenção...” Tudo bem, tudo bem, o verso (cordel?) que abre esse texto não é tão bom assim, mas a casa que apresentamos é: Baião – Cozinha Nordestina! O novo restaurante fica à rua Traipu 91, tels: 4306-2078 e 4306-2082, em um ponto que já recebeu restaurantes como a “Pizza na Roça” e a “A Toca”. A casa encanta os clientes logo ao primeiro contato. Na entrada, há um enorme boneco de cangaceiro. Logo após uma aconchegante sala de espera e um “quiosque”, onde uma “baiana legítima” faz o acarajé todos os dias, no almoço e no jantar, com exceção das noites de segunda-feira. Logo depois fica o salão principal, com capacidade para 120 pessoas e simpáticos garçons em trajes típicos do Nordeste. Um bar feito com pau a pique e telhas separa o salão principal de uma pista de dança, onde há um palco em forma de sanfona.

Restaurante Baião traz o
melhor do Nordeste para São Paulo. Adoramos!


Da pista, é possível observar uma organizada cozinha-show. Há também algumas poucas mesinhas do lado de fora, na lateral da casa, e um jardim à frente, do lado direito da entrada, que representa o sonho do nordestino de que um dia exista água e verde em abundância nos nove estados da região. Embaixo, descendo uma bela e colorida escadaria que remete às ruas de Pipa, no Rio Grande do Norte, há outro salão (70 lugares), com cozinha independente, que por enquanto é utilizado para festas e eventos, e em datas especiais, como o Dia das Mães.




O proprietário da casa, José Lourenço dos Santos Júnior, 40 anos, o “Júnior”, é sócio, ao lado do pai (José Lourenço dos Santos, o “Seu Lourenço”), da tradicional pizzaria Paulino, nos endereços das ruas João Ramalho (Perdizes) e João Moura (Pinheiros).  Filho de alagoanos e apaixonado por comida regional, frequentou desde cedo os restaurantes nordestinos da Cidade e sempre teve, segundo conta, “o sonho de montar um restaurante com a comida do Nordeste em São Paulo”.
Antes de abrir o Baião viajou três vezes ao Nordeste para “comer em restaurantes famosos, como o Camarões, em Natal; Parraxaxá, no Recife, e Bodega do Sertão, em Maceió; mas também em pequenos estabelecimentos encontrados à beira do caminho, em cidadezinhas e à beira da praia”. Nas viagens adquiriu também, principalmente em Caruaru, em Pernambuco; e Trancoso, na Bahia, quase toda a decoração da casa, como o porta-guardanapos, que é um lindo carrinho de boi, as luminárias, os jogos americanos (ops!,nordestinos!) e as centenas de bonequinhos com personagens da região.  Destaque também para os nove cordéis que fazem referência a todos os estados da região:  Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, e para as fotografias de nordestinos famosos homenageados nas paredes do restaurante. 
Um dos grandes destaques da casa é o já citado palco em forma de sanfona, homenagem ao seu pai e sócio na pizzaria. “Como ele é sanfoneiro e a música, além da gastronomia, sempre foram meus maiores elos com o Nordeste, esse palco foi uma forma de referência, respeito e agradecimento”, diz Júnior.




A casa abre de segundas às quartas-feiras, das 11h30 à meia-noite; às quintas, sextas e sábados, das 11h30 às 3h; e aos domingos e feriados das 11h30 às 18h. Ou seja: continua atendendo e servindo o almoço até às 18h. “Queremos ser uma boa alternativa para os paulistanos e turistas que não têm horários definidos para comer na Cidade”, afirma Júnior.  A música ao vivo acontece nas noites de sextas e sábados, das 21h às 3h, e aos sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h.  “A música é de qualidade, sempre nordestina, Forró Pé de Serra tocado em um salão separado e no tom adequado, para não atrapalhar quem está no salão principal e quer simplesmente conversar”, diz o proprietário do estabelecimento. Quando não estão os músicos, o som ambiente traz canções do Nordeste de qualidade, também no tom certo, de autores como Luiz Gonzaga, Alceu Valença e Dominguinhos. 




Entre as opções do cardápio, destaque para o Acarajé (feito com massa de feijão, acompanhado de camarão, vatapá, caruru e vinagrete – R$ 16,50); a porção de mini acarajés (seis unidades com camarão, vatapá, caruru e vinagrete – R$ 42,50), os bolinhos (oito  unidades – como de macaxeira com carne de sol, por R$ 24,50; e de camarão; por R$ 28,50; e Maria Bonita e Lampião, com massa à base de macaxeira e recheio com queijo coalho, rapadura e pimenta biquinho, por R$ 24,50); Tapioca de carne seca com nata (R$ 13,50 individual); porções, como Carne de panela com farofa e pimenta biquinho, por R$ 32,00), Chips (de macaxeira, de batata doce ou de batata - R$ 13,50); Enrolado de linguiça (com banana da terra, crocante e molho da casa – R$ 27,00), Linguiça na Cachaça (com cebola roxa, tomate cereja, pimenta biquinho, azeitonas verdes, salsa e cebolinha – R$ 34,00), Sarapatel (R$ 30,00), Combinado do Agreste (carne de sol acebolada, linguiça apimentada, macaxeira frita e queijo coalho empanado e flambado na cachaça – R$ 71,00 – serve de três a quatro pessoas), Ostras (R$ 28,00, seis unidades), Lula a Dorê (R$ 37,00) e Casquinha de Siri (R$ 18,00); Caldinhos, como de Mocotó (R$ 17,50), Sururu (R$ 20,50) e Feijão (R$ 14,00); Salada de Frutos do Mar (com cenoura, batatas, tomate, palmito, ervilhas, cebola e frutos do mar – R$ 55,00 para duas pessoas), Salada de Abóbora Assada com Ervas (mix de folhas, queijo coalho grelhado e castanhas do Pará – R$ 31,50 – serve duas pessoas), Cuscuz (carne de sol com queijo coalho, R$ 24,90; carne de sol com banana da terra, R$ 24,90; camarão, com molho de coco, R$ 26,80; vatapá, com camarão e vinagrete, R$ 25,80; e carne seca na nata, R$ 24,90); Galinha Caipira (acompanham arroz branco, pirão, mandioca, jerimum e batata doce – R$ 58,00 e R$ 32,00), Carne de sol com queijo coalho (acompanham arroz branco, feijão fradinho e farofa paçoca – R$ 90,00 e R$ 58,00 individual), Baião de Dois com carne de sol e queijo coalho (com macaxeira, jerimum e batata doce – R$ 79,00 para duas pessoas e R$ 48,00 individual; com filé mignon o valor é de R$ 95,00 e R$ 61,50),  Rabada (com polenta com agrião e arroz branco – R$ 50,00 para duas pessoas e R$ 32,00 individual), Dobradinha (com arroz branco, farofa e salada verde - R$ 47,00 para duas e R$ 30,00 individual), Buchada (com pirão e arroz– R$ 85,00 para duas pessoas e R$ 53,00 individual); Arrumadinho (feijão de corda, vinagrete, farofa e carne de sol – R$ 69,50 para duas pessoas e R$ 47,50 individual), Moqueca de Camarão e Peixe (acompanham arroz branco, pirão de peixe e farofa de dendê – R$ 150,00 para duas pessoas e R$ 91,00 individual), Bobó de Camarão (acompanham arroz branco, pirão de peixe e farofa de dendê – R$ 165,00 para duas pessoas e R$ 97,50 individual), Camarão no Coco (com arroz de manga e salada verde – R$ 160,00), Ensopado de Bode (acompanham arroz branco, legumes e farofa de dendê – R$ 85,00 para duas pessoas e R$ 40,0 individual); Bode na brasa (com arroz, farofa e feijão fradinho – R$ 90,00, para duas pessoas), Pintado enrolado na folha de bananeira na brasa (com farofa de banana, arroz branco e vinagrete – R$ 98,00 para duas pessoas) e o Peixe assado inteiro (com macaxeira cozida, arroz, feijão fradinho e vinagrete – R$ 130,00 para duas pessoas). Os pratos são muito bem servidos, sob o comando do chef maranhense Joílson Andrade.  




De segunda a sexta no almoço há opções de pratos executivos, diferentes a cada semana (com valores que variam entre R$ 25,90 e R$ 49,90. Com sobremesa (Quindim, Bolinho de chuva com doce de leite de rapadura e pera ao vinho, há um acréscimo de R$ 3,00), além dos pratos normais da casa. O cardápio executivo muda todos os meses.
Entre as bebidas, um muito bem tirado chope Brahma claro (R$ 7,70) e Black (R$ 9,50) em lindas canecas com o logo da casa (repare na original chopeira, que lembra a saia de uma baiana).  Muitas pessoas também pedem cervejas, que chegam em cumbucas com gelo. A boa Carta de Vinhos e Espumantes traz interessantes sugestões de harmonização com os pratos, petiscos e sobremesas. E todos os vinhos são produzidos no Nordeste do País, na região do Vale do Rio São Francisco. Há boas opções de drinques, como a Dedo de Prosa (cachaça envelhecida, limão, limão siciliano e rapadura – R$ 21,80); Cabra da Peste (frutas verdes - R$ 21,80), Sem Vergonha (frutas vermelhas – R$ 21,80) e Arretada (tangerina, maracujá, pimenta dedo-de-moça e cachaça – R$ 21,80).  Destaque ainda para a Carta de Cachaças, com um bom número de sugestões produzidas no Nordeste, como a Rainha Paraibana, (R$ 8,00) da cidade de Bananeiras (na Paraíba, claro), a também paraibana Serra Limpa, de Duas Estradas (R$ 11,50) e a Gogó da Ema, de São Sebastião, Alagoas (R$ 12,80).  Há mais cachaças da Paraíba e de outros estados do Nordeste, como a Kariri Ouro (Barbalha, Ceará, R$ 7,00), Serra das Almas (Rio das Contas, Bahia, R$ 8,50), Mucuri Prata (Aracaju, Sergipe, R$ 3,50) e Carvalheira Ouro (Recife, Pernambuco, R$ 10,60), além de cachaças de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina.
            Entre as sobremesas, Mil Folhas de Tapioca (com doce de leite de rapadura e sorvete de cupuaçu ou do sabor que o cliente escolher, com telhado de banana doce – R$ 18,00);  Pudim de Tapioca (R$ 14,00), Torta de queijo coalho com calda de goiabada, R$ 13,50; Cocada branca cremosa (12,50), Banana Real (com massa de pastel, com banana da terra, salpicada com açúcar e canela – R$ 18,00); Ciranda do Baião (petit gateau, pudim de tapioca, churros com doce de leite de rapadura, ganache de chocolate e sorvete de cupuaçu (ou do sabor que o cliente preferir – R$ 42,00 – serve de duas a três pessoas); e sorvete (tapioca, paçoca, abóbora com coco e chocolate – R$ 8,50 uma bola e R$ 15,00 duas bolas). Também chama a atenção o charmoso cafezinho coado na própria mesa, acompanhado por pedacinhos de rapadura (R$ 5,50, individual).

Curiosidades

*Quando o restaurante foi aberto, o cardápio trazia a Buchada para ser feita apenas “por encomenda”. Mas passou a ser pedida diariamente e se tornou um prato regular. “É pedido pelos nordestinos, mas também por muitos paulistas”, conta Júnior, sócio do restaurante.

*Não é uma cena comum. Mas também não é rara. Muitos nordestinos já choraram ao entrar na casa e ver que estavam em um pedaço do Nordeste em São Paulo.

*O palco sanfona se tornou uma das atrações da casa. É um dos pontos mais fotografados. Como está no release, foi concebido como uma homenagem do proprietário da casa, José Lourenço dos Santos Júnior, 40 anos, o “Júnior”, ao pai, que é sanfoneiro.

*A expectativa de Júnior era de que as moquecas fossem os pratos mais pedidos do restaurante, mas foram superadas pelo Baião de Dois. “Coloquei o nome pensando no ritmo musical, já que temos o palco e a dança, mas acho que isso também ajudou o Baião de dois a se tornar o prato que mais sai na casa”, conta.

*Antes de abrir o Baião. Júnior viajou três vezes ao Nordeste para “comer em restaurantes famosos, como o Camarões, em Natal; Parraxaxá, no Recife, e Bodega do Sertão, em Maceió; mas também em pequenos estabelecimentos encontrados à beira do caminho, em cidadezinhas e à beira da praia”. Nas viagens adquiriu também, principalmente em Caruaru, em Pernambuco; e Trancoso, na Bahia, quase toda a decoração da casa, como o porta-guardanapos, que é um lindo carrinho de boi, as luminárias, os jogos americanos (ops!,nordestinos!) e as centenas de bonequinhos com personagens da região. 

*A chopeira lembra a saia de uma baiana. O chope é Brahma. 

*Para chegar no salão de baixo, o cliente passa por uma bela e colorida escadaria que remete às ruas de Pipa, no Rio Grande do Norte.

*Júnior é sócio, ao lado do pai (José Lourenço dos Santos, o “Seu Lourenço”), da tradicional pizzaria Paulino, nos endereços das ruas João Ramalho (Perdizes) e João Moura (Pinheiros). A Paulino tem 72 anos de história. Seu Lourenço é proprietário da Paulino na Chácara Santo Antonio e sócio de outro filho, Rinaldo Lourenço dos Santos, na casa do Campo Belo.

 *Todos os dias a casa serve o almoço até as 18h. “Queremos ser uma boa alternativa para os paulistanos e turistas que não têm horários definidos para comer na Cidade”, afirma Júnior.


Baião – Cozinha Nordestina Rua Traipu, 91 – Pacaembu – São Paulo - www.baiaocozinhanordestina.com.br – Tels: 11 - 4306-2078 e 4306-2082 -  Abertura da casa: 22 de outubro de 2015. Inauguração da casa: 11 de fevereiro de 2016.; Horários: de segunda às quartas-feiras, das 11h30 à meia-noite; às quintas, sextas e sábados das 11h30 às 3h; e aos domingos e feriados das 11h30 às 18h. Música ao vivo, de quintas a sábados, das 21h às 3h, e aos sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h.  O couvert artístico à noite é de R$ 10,00 às sextas e R$ 15,00 aos sábados e de R$ 5,00 nos almoços de sábados, domingos e feriados.  Delivery: sim (com taxa de R$ 4,00 a R$ 7,00), das 11h30 à meia-noite, todos os dias, para os bairros do Pacaembu, Perdizes, Pompéia, Sumaré, Santa Cecília, Higienópolis e Água Branca, Cc: Aceita todos menos o Amex; Tickets: VR, Ticket Restaurante e Sodexo. Cheques: não.  Água de Coco: R$ 7,10. Água Mineral: R$ 5,30.  Chope Brahma:  claro, por R$ 7,70 (300ml) e Black, por R$ 9,50 (300 ml). Área para fumantes: sim (tanto em cima quanto no salão de baixo). Estacionamento com manobrista: de segunda a sexta é gratuito no almoço. Em todas as noites e aos sábados, domingos e feriados é R$ 15,00. Café:R$ 5,50 (individual, coado na própria mesa). Tem pratos executivos no almoço de segunda a sexta-feira.Acesso para deficientes: sim; Banheiro adaptado para deficientes: sim. Ar-condicionado: sim (em todos os salões). Área de fumantes: sim (externa). 

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

AccorHotels expande na América do Sul em ano recorde de aberturas

Grupo chegou a 329 hotéis na região e segue com plano
de operar 500 hotéis até 2020

Patrick Mendes - foto abaixo, em coletiva de imprensa revela sobre 
         resultados de 2017 e perspectivas para próximos anos
---



A AccorHotels, líder em experiências hoteleiras, abriu 52 hotéis em 2017 na América do Sul, incluindo a aquisição de 21 contratos de administração da BHG. Com isso, a empresa passou a operar 329 unidades e 51.800 quartos - 283 no Brasil (45 mil quartos), além de 142 unidades no pipeline. O Brasil foi o 2° país que mais abriu hotel no mundo, considerando os 99 países em que o Grupo atua.


O valor da transação com a BHG foi de R$ 195 milhões. Para reformas e adaptações às marcas AccorHotels, serão investidos R$ 307 milhões pela BHG.

“Estamos muito próximos de alcançar a meta de ter 500 hotéis na região até 2020”, diz Patrick Mendes, CEO da AccorHotels América do Sul. “No ano em que completamos 40 anos de história, assinamos 43 contratos e superamos a projeção inicial, sobretudo no último trimestre. Para 2018, consolidaremos o desenvolvimento dos últimos três anos com novas aberturas. Nosso objetivo é chegar a aproximadamente 400 hotéis abertos ao final de 2018”, afirma.

Por meio de investimentos estratégicos, gerenciamento de marca e operações comerciais focadas, a AccorHotels se estabeleceu como líder no mercado global de hotéis de luxo. O portfólio dedicado para esse segmento inclui muitas das mais prestigiadas marcas mundiais de alto nível.

Até 2020, a AccorHotels já possui contratos assinados para abrir ao menos 4 hotéis de luxo na região. Em 2019, o Sofitel Copacabana no Rio de Janeiro abrirá suas portas como Fairmont, depois de passar por reformas de R$ 250 milhões. Na América do Sul, será inaugurado o terceiro Swissôtel, em Medellín, Colômbia. A marca MGallery dobrará de tamanho, ganhando dois novos hotéis: MGallery Buenos Aires Callao, com abertura prevista para 2018, e MGallery Montevidéu, previsto para 2020. O Brasil também dobrou o número de hotéis com a marca Grand Mercure em 2017. Com a aquisição de contratos da BHG, saltamos para 7 hotéis da marca.


“Temos quatro pilares estratégicos que norteiam nosso negócio para consolidação do plano 2020: valorização dos colaboradores, paixão pelo cliente, plataforma de distribuição poderosa e melhor relação com investidor. Para 2018, iremos ampliar nosso foco em três aspectos para tornar a experiência do cliente ainda mais positiva: Alimentos e Bebidas, Design e Emoção”, afirma Patrick.

No segmento midscale, foram 14 aberturas em 2017 e houve a inauguração do novo conceito de restaurante para a marca Novotel: o Gourmet Bar – já são duas unidades na região. Além disso, a marca Adagio Aparthotel completou 4 anos de presença no Brasil com 9 unidades, sendo 3 aberturas em 2017. Em 2018, o segmento midscale atingirá a marca de 100 hotéis na América do Sul, com abertura de 6 Novotel, um deles resort.

Por outro lado, a empresa continua com o foco estratégico de desenvolver seu portfólio em hotéis lifestyle, com marcas dedicadas para este segmento como Jo&Joe e Mama Shelter.


Principais números

O volume de negócios da América do Sul cresceu 1,7% em 2017, considerando o plano de desenvolvimento e aquisições da empresa na região, sem considerar o efeito de hotéis em reforma.

Em termos de RevPar, observa-se ainda no quarto trimestre uma tendência de recuperação muito encorajadora em todos os segmentos combinados (+ 13,9%), apesar da queda de 3,4% no RevPar da América do Sul, influenciada principalmente pela situação econômica do Rio de Janeiro.

“Em termos de receita líquida, a expectativa para 2018 é otimista, pois estamos retomando a ocupação”, acredita Patrick.

Três países na região se destacaram em 2017: Colômbia, Chile e Peru. Na Colômbia, finalizamos o ano com 9 hotéis em operação e outros 7 em desenvolvimento. O Chile atualmente possui 15 hotéis em operação e quase dobramos o número de unidades, apenas em 2017. No Peru, são 6 hotéis em operação e 8 em implantação. A Argentina possui 10 hotéis e 1350 quartos, além de 2 em implantação.

O programa de relacionamento Le Club AccorHotels, que conta com mais de 3,3 milhões de associados só na América do Sul, foi responsável por 44% do total de diárias nos hotéis, aumento de 5% em relação a 2016. Somente no ano passado, o Le Club AccorHotels teve um crescimento de 20% no número total de associados ativos (pessoas que tiveram pelo menos uma estadia durante o ano).

O Reputation Performance Score (RPS) permite ao hotel medir a satisfação dos hóspedes. Em 2017, o RPS da América do Sul foi 82,92, bem acima das outras regiões do Grupo.
   
Aquisições


Além da abertura de hotéis e resorts no segmento lazer, foram feitas aquisições e parcerias importantes como onefineStay, Squarebreak e Travel Keys. Em outubro, a AccorHotels firmou parceria estratégica com SNCF Group, para o desenvolvimento da marca Orient Express, e adquiriu uma participação de 50% nas ações da companhia. A marca Orient Express é um símbolo atemporal da arte em viagens de luxo, uma marca rica em cultura, esplendor e requinte.

Alinhada com a estratégia destinada a fortalecer a liderança da AccorHotels em toda a experiência do cliente, aumentando a gama de serviços oferecidos aos viajantes de negócios, o Grupo adquiriu a Gekko, um dos principais players no mercado Business to Business (B2B). Graças à sua experiência e tecnologia de ponta, a Gekko oferece soluções de busca e reserva por meio de uma interface conectada a mais de 500.000 hotéis em todo o mundo, do econômico ao luxo.

Na mesma linha de negociação, o Grupo assinou acordo com Mantra Group Limited, com o objetivo de adquirir todo o capital da empresa por meio de um acordo a ser aprovado pelos acionistas. O Mantra é um dos maiores operadores hoteleiros e de resorts da Austrália contando com 127 propriedades e mais de 20.000 quartos em hotéis, resorts e apart-hotéis em toda a Austrália, Nova Zelândia, Indonésia e Havaí.

Além disso, foi iniciada, globalmente, a implantação do AccorLocal, uma gama de serviços que oferece aos comerciantes locais a oportunidade de ofertar seus produtos nos hotéis do Grupo. Por outro lado, os hotéis têm a chance de promover seus serviços de hospitalidade para uma nova clientela. Por exemplo, pessoas da vizinhança podem usar serviços de lavanderia, estacionamento e alugar espaços dentro dos hotéis para realização de reuniões. A AccorHotels, portanto, conecta a conveniência do digital à sua experiência em hospitalidade e à experiência local, introduzindo uma nova maneira de interagir com as comunidades que vivem nas proximidades, hotéis e empresas locais.

Alimentos e Bebidas

O setor de alimentos e bebidas é estratégico para a AccorHotels. No segmento de luxo, 33% da receita vem por meio dos serviços de gastronomia. Já no midscale, a taxa é de 21% e 17% para o econômico. No momento, o Grupo tem cerca de 220 restaurantes localizados em seus hotéis na América do Sul. Em 2017, foram vendidos mais de 500 mil couverts. Além de ser uma importante fonte de renda, esta área é essencial para alcançar o objetivo de atrair mais e mais clientes, hóspedes ou não, para os restaurantes dos hotéis.  “Nossa região foi a mais significativa em termos de evolução de receita em alimentos e bebidas do mundo”, afirma Patrick. “Os hotéis não são frequentados apenas pelos hóspedes. Moradores da cidade e do bairro procuram restaurantes e bares de hotéis como opções de alta qualidade e fora do comum, e é nisso que focaremos em 2018: atrair cada vez mais clientes que não estejam hospedados conosco para ter experiências gastronômicas únicas”, diz.

Design inovador: essencial para o negócio hoteleiro

O design e a inovação tecnológica tornaram-se elementos essenciais para o negócio hoteleiro. Projetos desenhados com espaços e cenários ousados, viagens e serviços que convidam as pessoas a experimentarem novas sensações. Por isso, a AccorHotels faz parceria com arquitetos renomados para proporcionar aos hóspedes as tendências comportamentais e incríveis experiências.

Hoje, todos os novos projetos já são desenvolvidos pensando no design e em como proporcionar melhores experiências ao cliente. O Design & Technical Summit, evento reconhecido no setor por abordar tendências e organizado pela AccorHotels, terá sua terceira edição em 2018.

Parte da estratégia de 2018 da AccorHotels é a inovação. Para isso, diversos hotéis do Grupo na região receberão um “Innovation Room”, com design moderno, inovador e elementos de última tecnologia.

Treinamentos e melhoria contínua

Pelo 20° ano consecutivo, a AccorHotels foi premiada entre as Melhores Empresas para Trabalhar pela lista do Great Place to Work. Na 21ª edição do prêmio, a AccorHotels ficou na 7ֺa posição do ranking brasileiro. Na Argentina, a AccorHotels ocupou o 12° lugar entre as 21 empresas participantes e no Chile, a posição 32, de 50.

São mais de 15 mil colaboradores na região que participam ativamente de diversos treinamentos para oferecer a melhor experiência aos clientes. Em 2018, a AccorHotels lança dois programas para ampliar relacionamentos e cultura de serviços: A.C.D.C e Heartist.

O A.C.D.C. (AccorHotels Customer Digital Card) é uma ferramenta que permitirá maior conhecimento sobre os clientes para poder encantá-los, enriquecendo assim as experiências no hotel. Já o Heartist é o DNA, traço cultural que irá guiar as atitudes e percepções sobre como os colaboradores se relacionam com clientes internos e externos.

Responsabilidade Social

Em 2017, 100% dos hotéis da América do Sul aderiram ao programa Planet 21, compromisso de desenvolvimento sustentável global. Foram plantadas 560 mil árvores na região por meio do Plant for the Planet e 12 mil colaboradores receberam treinamento contra a exploração sexual de crianças e adolescentes no turismo. Atingimos a marca de 148 hotéis com hortas urbanas, mantidas pelos próprios colaboradores e cerca de 30% dos hotéis têm alguma fonte de energia renovável e sistema de reutilização de água.

Foram assinados os 10 Compromissos do Fórum das Empresas e Direito LGBT+, que garantiram ações importantes para promover um ambiente de trabalho inclusivo e receber os hóspedes da melhor maneira.

Atualmente, são apoiados 10 projetos de inclusão social em ONGs via Solidarity AccorHotels na América do Sul. Os programas consistem em capacitação para inserção no mercado de trabalho e empreendedorismo realizados por ONGs parceiras no Brasil e no Peru. Foram aprovados 4 novos projetos em 2017 (2 no Brasil e 2 no Peru), que ajudam mais de 500 pessoas, com doações de € 148.800.


SOBRE ACCORHOTELS
AccorHotels é um líder mundial em viagens e estilo de vida e inovador digital oferecendo experiências únicas em mais de 4.200 hotéis, resorts e residências, bem como em mais de 10.000 das melhores casas particulares em todo o mundo. Beneficiando-se da experiência como investidor e operador, a AccorHotels opera em 95 países.

Sua carteira inclui marcas de luxo de renome internacional, incluindo Raffles, Sofitel Legend, SO Sofitel, Sofitel, Fairmont, onefinestay, MGallery by Sofitel, Pullman e Swissôtel; bem como o popular midscale e marcas boutique como 25hours, Novotel, Mercure, Mama Shelter e Adagio; as reconhecidas marcas econômicas incluindo JO&JOE, ibis, ibis Styles, ibis budget e as marcas regionais Grand Mercure, The Sebel e hotelF1. A AccorHotels também oferece serviços inovadores durante toda a experiência do viajante, sobretudo pela recente aquisição do John Paul, líder mundial em serviços de concierge.

Com uma coleção incomparável de marcas e uma rica história que se estende por quase cinco décadas, a AccorHotels, juntamente com sua equipe global de mais de 250.000 homens e mulheres dedicados, tem uma missão intencional e sincera: fazer com que cada hóspede se sinta bem-vindo. Os hóspedes têm acesso a um dos programas de fidelidade mais gratificantes do mundo - Le Club AccorHotels.


A AccorHotels está ativa nas suas comunidades locais e comprometida com o desenvolvimento sustentável e a solidariedade através do PLANET 21, um programa abrangente que reúne funcionários, clientes e parceiros para impulsionar o crescimento sustentável. A Accor SA está cotada em bolsa com ações negociadas na Euronext Paris (código ISIN: FR0000120404) e no mercado OTC (Código: ACRFY) nos Estados Unidos.

+++

Accorhotels se développe en Amérique du Sud en année record d'ouvertures Groupe a atteint 329 hôtels dans la région et continue avec le plan pour faire fonctionner 500 hôtels d'ici 2020 Les Accorhotels, une expérience de premier hôtel, ouvert 52 hôtels en 2017 en Amérique du Sud, y compris l'acquisition de 21 contrats de gestion BHG. Avec cela, la société exploite désormais 329 unités et 51800/4-283 au Brésil (45.000 chambres), ainsi que 142 unités dans le pipeline. Le Brésil a été le 2ème pays qui a ouvert hôtel dans le monde, compte tenu des 99 pays où le Groupe opère. Le montant de la transaction avec le BHG était R $ 195 millions. Pour les rénovations et les adaptations à Accorhotels marques seront investis R 307 millions $ par BHG. « Nous sommes très près d'atteindre l'objectif d'avoir 500 hôtels dans la région d'ici 2020 », explique Patrick Mendes, directeur général de Accorhotels Amérique du Sud. « L'année terminée 40 ans d'histoire, nous avons signé 43 contrats et surmontons la projection initiale, en particulier au dernier trimestre. Pour 2018, consolidera le développement des trois dernières années avec de nouvelles ouvertures. Notre objectif est d'atteindre 400 hôtels ouverts à la fin de 2018 « , dit-il. Grâce à des investissements stratégiques, la gestion de la marque et les opérations commerciales ciblées, les Accorhotels s'est imposé en tant que leader sur le marché mondial des hôtels de luxe. Le portefeuille dédié à ce segment comprend un grand nombre des plus prestigieuses marques mondiales de haut niveau. D'ici 2020, Accorhotels déjà a signé des contrats pour ouvrir au moins quatre hôtels de luxe dans la région. En 2019, le Sofitel Copacabana à Rio de Janeiro ouvrira ses portes comme Fairmont, après être passé par des réformes de R $ 250 millions. En Amérique du Sud, elle ouvrira la troisième Swissôtel à Medellin, en Colombie. La marque MGallery va doubler de taille, gagnant deux nouveaux hôtels: MGallery Buenos Aires Callao, ouvrira ses portes en 2018 et MGallery Montevideo, prévue pour 2020. Le Brésil a également doublé le nombre d'hôtels avec la marque Grand Mercure en 2017. Avec l'acquisition contrats de BHG, sauter à sept hôtels de la marque. « Nous avons quatre piliers stratégiques qui guident notre plan d'affaires pour la consolidation en 2020: la valorisation des collaborateurs, la passion pour le client, la plate-forme de distribution puissante et une meilleure relation avec l'investisseur. Pour 2018, nous allons nous concentrer davantage sur trois aspects pour rendre l'expérience client encore plus positif: l'alimentation et les boissons, la conception et l'émotion « , dit Patrick. Dans le milieu de gamme étaient 14 ouvertures en 2017 et il y avait l'ouverture du nouveau concept de restaurant pour la marque Novotel: le Gourmet Bar - sont déjà deux unités dans la région. De plus, la marque Adagio Aparthotel terminé 4 ans au Brésil avec 9 unités, trois ouvertures en 2017. En 2018, le milieu de gamme atteindra les hôtels de marque 100 en Amérique du Sud, Holiday Inn ouverture 6, une station . D'autre part, l'entreprise se poursuit avec l'objectif stratégique de développer son portefeuille d'hôtels de style de vie avec des marques dédiées à ce segment Jo & Joe et Mama Shelter. chiffres clés Le chiffre d'affaires en Amérique du Sud a augmenté de 1,7% en 2017, compte tenu du plan de développement et d'acquisitions dans la région de l'entreprise, sans tenir compte de l'effet des hôtels en rénovation. En termes de RevPar, encore observé au quatrième trimestre une tendance très encourageante de la reprise dans tous les segments combinés (+ 13,9%), malgré la baisse de 3,4% du RevPAR en Amérique du Sud, principalement influencé par la situation économique de Rio de Janeiro. « En termes de résultat net, les attentes pour 2018 est optimiste, parce que nous reprenons l'occupation », dit Patrick. Trois pays de la région se sont démarqués en 2017: la Colombie, le Chili et le Pérou. En Colombie, nous avons terminé l'année avec neuf hôtels en opération et sept autres en cours de développement. Le Chili a actuellement 15 hôtels en opération et a presque doublé le nombre d'unités, seulement en 2017. Au Pérou, sont 6 hôtels en opération et 8 déploiement. L'Argentine a 10 hôtels et 1350, plus 2 quarts de déploiement.   Le programme de la relation Le Club Accorhotels, qui compte plus de 3,3 millions d'abonnés en Amérique du Sud, ont représenté 44% du total quotidien dans les hôtels, augmentation de 5% par rapport à 2016. L'an dernier , le club Accorhotels a augmenté de 20% du nombre total des membres actifs (personnes qui avaient au moins une fois au cours de l'année).